Google habilita indexação Mobile-First: descubra o que mudou

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Recentemente o Google habilitou a indexação Mobile-First no seu mecanismo de classificação de sites. Você sabe como isso afeta o rankeamento da sua página web no Google?

Então fique atento, pois se você não adaptar o seu site para as novas exigências corre o risco de perder a oportunidade de ficar bem rankeado e aproveitar todos os benefícios que isso acarreta.

Continue lendo esse post para descobrir o que é essa atualização e dicas de como otimizar o seu site.

Indexação Mobile-First: entenda como funciona

Se antes ter um site responsivo era uma opção, agora tornou-se uma necessidade. Isto é, se você deseja que o seu site alcance o topo dos resultados de busca no Google.

Veja bem, recentemente o Google revelou uma importante atualização na sua metodologia de indexação e classificação de páginas para Mobile-First. Agora, os sites adaptados para dispositivos móveis serão priorizados pelo GoogleBot durante o processo de rankeamento.

A necessidade de mudar a forma de indexação surgiu devido ao fato de que os sistemas de classificação e rastreamento usados pelo Google, apenas avaliavam o conteúdo do site na sua versão para desktop.

Isso causava uma divergência nas pesquisas realizadas em dispositivos móveis, principalmente quando as duas versões do conteúdo eram diferentes. Uma prática muito comum entre os desenvolvedores, que escondem determinados dados para conseguir otimizar o site para a versão mobile, por exemplo.

Assim, quando o usuário realizava uma pesquisa no smartphone poderia encontrar o resultado que desejava com facilidade. Contudo, ao fazer essa mesma pesquisa no notebook poderia encontrar um resultado diferente do que o esperado.

Percebeu como é importante ter um site responsivo e bem planejado para ocupar boas posições no Google?

Então, não espere mais e faça as mudanças necessárias na sua página web. Descubra no próximo tópico o passo a passo de como fazer isso.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Publicações